GRUPO ESPÍRITA AGOSTINHO E TEREZA DE JESUS

O Espiritismo é, ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática, ele consiste nas relações que se estabelecem entre nós e os espíritos; Como filosofia, compreende todas as consequências morais que faz brotar dessas mesmas relações. Podemos defini-lo assim: Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos espíritos, bom como de suas relações com o mundo corporal.

E ainda, o Espiritismo é uma ciência nova que vem revelar aos homens, por meios de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corpóreo. Ele nos mostra, não mais como coisa sobrenatural, porém ao contrário, como uma das forças vivas sem cessar atuantes da natureza, como fonte de uma imensidade de fenômenos até hoje incompreendidos e , por isso, relegados para o domínio do fantástico e do maravilhoso. É a essas relações que o Cristo refere-se em muitas circunstâncias e daí vem que muito do que Ele disse permaneceu obscuro ou falsamente interpretado.

O Espiritismo é a chave com o auxílio da qual tudo se explica de modo fácil.

Allan Kardec


quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Quem somos ??






O Grupo Espírita tem por finalidade o estudo e a prática da Doutrina Espírita, segundo os ensinos codificados por Allan Kardec.
Contamos com 2 reuniões públicas por semana (2ª e 6ª) com palestra e passes, 
O G.E.A.T.J foi fundado em 27 de julho de 1926 e está situado na Rua Francisco, 31 - Praça Seca - Rio de Janeiro
 Cep: 21320-190
 http://maps.google.com/
  Tel. (21) 33903570 - 9.72243053 - 9.86461530 
 geagostinhoeterezadejesus@gmail.com

Seja bem-vindo ao Grupo Espírita Agostinho Tereza de Jesus !

Programação de Atividades


2ª Feira
Reunião Pública com Palestra e Passes -  (Das 19:45 às 21:15 H.)

3ª Feira
Atendimento Fraterno (aconselhamento e orientação particular) - (Das 19:45 às 21:15 H.)


6ª Feira
Reunião Pública com Palestra e Passes - (Das 19:45 às 21:15 H.)



Reuniões Públicas (Palestra e Passes)

FEVEREIRO/ Segundas Feiras - 19:45 às 21:15 H. (Palestra e Passes)

Dia 05 – PANTEÍSMO
Dia 12 – NÃO HAVERÁ REUNIÃO PÚBLICA
Dia 19 – CONHECIMENTO DO PRINCÍPIO DAS COISAS

Dia 26 – ESPÍRITO E MATÉRIA


FEVEREIRO/ Sextas Feiras - 19:45 às 21:15 H. (Palestra e Passes)

Dia 02 – CARIDADE PARA COM OS CRIMINOSOS
Dia 09 – NÃO HAVERÁ REUNIÃO PÚBLICA
Dia 16 – NÃO HAVERÁ REUNIÃO PÚBLICA

Dia 23 – DEVE-SE EXPOR A VIDA POR UM MALFEITOR?





* Poderá haver modificações no roteiro acima *

PRÓXIMOS EVENTOS





DIAS 09, 12 E 16 DE FEVEREIRO NÃO HAVERÁ REUNIÃO PÚBLICA









geagostinhoeterezadejesus@gmail.com
Receba informações do GEATJ por email    CADASTRE-SE !!!








AMOR AO VOLUNTARIADO



DOE-SE AO VOLUNTARIADO
Faça parte do quadro de trabalhadores do GEATJ. Ajudando nas atividades, e aumentando essa corrente de Amor e Caridade.


CAMPANHAS E DOAÇÕES


Peças de vestuário (adultos / infantis); Utilidades em geral; Materiais para manutenção das instalações; Livros espíritas;   Alimentos     não perecíveis; Óleo usado em frituras; Material de limpeza; etc.



CAMPANHA DE ASSOCIADOS


Se desejar , faça parte do quadro de associados do geatj, colaborando com a manutenção e conservação das instalações e desenvolvimento de várias atividades. Informe-se na secretária do Grupo.

                      






EM DIA COM O ESPIRITISMO







TEMPO DE CONFIANÇA
“E disse-lhes: Onde está a vossa fé?” — (LUCAS, capítulo 8,
versículo 25.)

A tempestade estabelecera a perturbação no ânimo dos discípulos mais fortes. Desorientados, ante a fúria dos elementos, socorrem-se de Jesus, em
altos brados. Atende-os o Mestre, mas pergunta depois: — Onde está a vossa fé? O quadro sugere ponderações de vasto alcance. A interrogação de Jesus indica claramente a necessidade de manutenção da confiança, quando tudo parece obscuro e perdido. Em tais circunstâncias, surge a ocasião da fé, no tempo que lhe é próprio. Se há ensejo para trabalho e descanso, plantio e colheita, revelar-se-á igualmente a confiança na hora adequada. Ninguém exercitará otimismo, quando todas as situações se conjugam para o bem-estar. É difícil demonstrar-se amizade nos momentos felizes. Aguardem os discípulos, naturalmente, oportunidades de luta maior, em que necessitarão aplicar mais extensa e intensivamente os ensinos do Senhor. Sem isso, seria impossível aferir valores. Na atualidade dolorosa, inúmeros companheiros invocam a cooperação direta do Cristo. E o socorro vem sempre, porque é infinita a misericórdia celestial, mas, vencida a dificuldade, esperem a indagação: — Onde está a vossa fé? E outros obstáculos sobrevirão, até que o discípulo aprenda a dominar-se, a educar-se e a vencer, serenamente, com as lições recebidas.
LIVRO CAMINHO, VERDADE E VIDA




REFLEXÃO





USUFRUTO E PACIÊNCIA

Ante as leis da Terra, a propriedade, pertença ao grupo social ou ao indivíduo, é sempre credora de respeito; entretanto, perante a Criação Divina, a ideia do usufruto é grande fator de paciência ao coração. Se raciocinas em termos de vida eterna, lembrar-te-ás, decerto, que os teus mais valorosos ascendentes vieram à Terra, desfrutaram-lhe os bens e voltaram à Espiritualidade que se nos faz o campo de origem. Reflete nisso par que os abalos da desvinculação no mundo não te comprometam equilíbrio e saúde. Os entes mais queridos buscaram-te a companhia ou buscaste a companhia deles, no entanto, surgirá o momento em que se despedirão de ti ou no qual te despedirás deles, sob os imperativos das leis de mudança construtiva, conquanto o amor permanece intacto, prenunciando as alegrias do reencontro. Os bens que, porventura, reuniste se transferirão de teu nome para outros, sejam esses familiares que se te ligam na consangüinidade ou companheiros diferentes que te conferirão continuidade ao trabalho. Poder que detenhas, por muito se te demore nas mãos, passará para mãos alheias, considerando-se as transformações inevitáveis. Influência que possuas cederá com o tempo. Determinadas faculdades da inteligência, tê-las-ás no Plano Físico, enquanto puderes sustentar-te em corpo relativamente robusto, à maneira do violinista que apenas se manterá em alta forma, enquanto conseguir dispor da integridade do instrumento. Atentos à realidade de que todos usufruímos recursos que, na essência, não nos pertencem, estejamos alertas, amando sem possessão e servindo sem apego. Considera a posição de usufrutuário em que te encontras na experiência terrestre e sejam quais forem as circunstâncias adversas em que te vejas no mundo, a paciência não te faltará.
LIVRO CALMA















LIÇÕES DO SENHOR NO CÍRCULO MAIS ÍNTIMO












O revolucionário sincero
No curso das elucidações domésticas, Judas conversava, entusiástico, sobre as
anomalias na governança do povo, e, exaltado, dizia das probabilidades de
revolução em Jerusalém, quando o Senhor comentou, muito calmo:
— Um rei antigo era considerado cruel pelo povo de sua pátria, a tal ponto que
o principal dos profetas do reino foi convidado a chefiar uma rebelião de grande
alcance, que o arrancasse do Trono.
O profeta não acreditou, de início, nas denúncias populares, mas a multidão
insistia. “O rei era duro de coração, era mau senhor, perseguia, usurpava e flagelava
os vassalos em todas as direções» — clamava-se desabridamente.
Foi assim que o condutor de boa-fé se inflamou, igualmente, e aceitou a ideia
de uma revolução por único remédio natural e, por isso, articulou-a em silêncio, com
algumas centenas de companheiros decididos e corajosos. Na véspera do
cometimento, contudo, como possuía segura confiança em Deus, subiu ao topo dum
monte e rogou a assistência divina com tamanho fervor que um Anjo das Alturas lhe
foi enviado para confabulação de espírito a espírito.
A frente do emissário sublime, o profeta acusou o soberano, asseverando
quanto sabia de oitiva e suplicando aprovação celeste ao plano de revolta
renovadora.
O mensageiro anotou-lhe a sinceridade, escutou-o com paciência e esclareceu:
— «Em nome do Supremo Senhor, o projeto ficará aprovado, com uma condição.
Conviverás com o rei, durante cem dias consecutivos, em seu próprio palácio, na
posição de servo humilde e fiel, e, findo esse tempo, se a tua consciência perseverar
no mesmo propósito, então lhe destruirás o trono, com o nosso apoio».
O chefe honesto aceitou a proposta e cumpriu a determinação.
Simples e sincero, dirigiu-se à casa real, onde sempre havia acesso aos
trabalhos de limpeza e situou-se na função de apagado servidor; no entanto, tão
logo se colocou a serviço do monarca, reparou que ele nunca dispunha de tempo
para as menores obrigações alusivas ao gosto de viver. Levantava-se rodeado de
conselheiros e ministros impertinentes, era atormentado por centenas de
reclamações de hora em hora. Na qualidade de pai, era privado da ternura dos
filhos; na condição de esposo, vivia distante da companheira. Além disso, era obrigado,
frequentemente, a perder o equilíbrio da saúde física, em vista de banquetes
e cerimônias, excessivamente repetidos, nos quais era compelido a ouvir toda a
sorte de mentiras da boca de súditos bajuladores e ingratos. Nunca dormia, nem se
alimentava em horas certas e, onde estivesse, era constrangido a vigiar as próprias
palavras, sendo vedada ao seu espírito qualquer expressão mais demorada de vida
que não fôsse o artifício a sufocar-lhe o coração.
O orientador da massa popular reconheceu que o imperante mais se
assemelhava a um escravo, duramente condenado a servir sem repouso, em plena
solidão espiritual, porqüanto o rei não gozava nem mesmo a facilidade de cultivar a
comunhão com Deus, por intermédio da prece comum.
Findo o prazo estabelecido, o profeta, radicalmente transformado, regressou ao
monte para atender ao compromisso assumido, e, notando que o Anjo lhe aparecia,
no curso das orações, implorou-lhe misericórdia para o rei, de quem ele agora se
compadecia sinceramente. Em seguida, congregou o povo e notificou a todos os
companheiros de ideal que o soberano era, talvez, o homem mais torturado em
todo o reino e que, ao invés da suspirada insubmissão, competia-lhes, a cada um,
maior entendimento e mais trabalho construtivo, no lugar que lhes era próprio dentro
do país, a fim de que o monarca, de si mesmo tão escravizado e tão desditoso,
pudesse cumprir sem desastres a elevada missão de que fora investido.
E, assim, a rebeldia foi convertida em compreensão e serviço.
Judas, desapontado, parecia ensaiar alguma ponderação irreverente, mas o
Mestre Divino antecipou-se a ele, falando, incisivo:
— A revolução é sempre o engano trágico daqueles que desejam arrebatar a
outrem o cetro do governo. Quando cada servidor entende o dever que lhe cabe no
plano da vida, não há disposição para a indisciplina, nem tempo para a insubmissão.

LIVRO JESUS NO LAR






ATENDIMENTO FRATERNO
















        ATENDIMENTO FRATERNO








TODA TERÇA-FEIRA ÀS 19:45 HS.

(necessário agendar)




O Atendimento Fraterno tem como objetivo primacial receber bem e orientar com segurança todos aqueles que o buscam. Apoiando-se nos postulados espíritas, o Atendimento Fraterno abre perspectivas novas e projeta luz. O conhecimento do ser imortal, da sua preexistência ao berço e sobrevivência ao túmulo, torna-se indispensável para qualquer cometimento terapêutico em relação aos problemas humanos. Por isso mesmo, a terapia do amor é de vital importância, envolvendo em confiança e ternura, ao mesmo tempo esclarecendo quanto a realidade e constituição espiritual.


JOANNA DE ÂNGELIS


MEDIUNIDADE NOSSA DE CADA DIA





279 - Há quem se espante de que o nome de Deus, invocado contra eles, nenhum efeito produza. A razão   desse           fato deu-no-la São Luís, na resposta seguinte: “O nome de Deus só tem influência sobre os Espíritos imperfeitos, quando proferido por quem possa, pelas suas virtudes, servir-se dele com autoridade. Pronunciado por quem nenhuma superioridade moral tenha, com relação ao Espírito, é uma palavra como qualquer outra. O mesmo se dá com as coisas santas com que se procure dominá-los. A mais terrível das armas se torna inofensiva em mãos inábeis a se servirem dela, ou incapazes de manejá-la.”     






O LIVRO DOS MÉDIUNS 








INFÂNCIA E JUVENTUDE






 Fundamentação:  “A Evangelização Espírita Infanto-juvenil, assim, vem concitar a todos para um trabalho árduo e  promissor, no campo da implantação das ideias libertadoras, a que fomos chamados a servir, pela  vitória do conhecimento superior e pela conquista da Vida Maior.” (Bezerra de Menezes, 1982).
 “Entretanto, renovando-se a mentalidade dos adultos, sejam eles pais ou preceptores, diretores de  Instituições ou servidores do Movimento Espírita, com esclarecimentos sobre a importância e  necessidade da Evangelização Espírita Infanto-juvenil, haverá uma notável aceleração, uma  ampliação mais sensível das tarefas previstas. Por esse motivo, são tão necessárias as campanhas  de esclarecimento junto à família cristã, às Instituições Espíritas, como também aos próprios  evangelizadores.” (Bezerra de Menezes, 1982). “Superando a acomodação ancestral a respeito da preparação das gerações novas, a Campanha  vem sensibilizando as pessoas responsáveis pelo progresso da Humanidade, nas Casas Espíritas,  despertando novos e interessados trabalhadores, que compreendem a urgência da educação  espírita-cristã, à luz do Evangelho e da Codificação. A socialização da criança e do jovem através  da Campanha de Evangelização Espírita é fundamental para a construção de uma mentalidade  livre de preconceitos e equipada de recursos superiores para o enfrentamento dos desafios no  mundo moderno, no qual as mudanças se fazem com muita rapidez.” (Francisco Thiesen, 1997). “O coração infanto-juvenil é abençoado solo onde se deve albergar a sementeira de vida eterna.  Preservá-lo com carinho, de modo a nele ensementar os postulados libertadores do Espiritismo, é  dever que não pode ser postergado pelos educadores espíritas encarregados de cuidar das  gerações novas.” (Vianna de Carvalho, 2007).   


“Nesse sentido, à Evangelização Espírita Infanto-juvenil cabe a indeclinável tarefa educacional de preparar os futuros cidadãos desde cedo, habilitando-os com as sublimes ferramentas do  conhecimento e do amor para o desempenho dos compromissos que lhes cumprirá atender,  edificando a nova sociedade do amanhã.” (Vianna de Carvalho, 2007).

ESTUDO DO EVANGELHO NO LAR






ROTEIRO:
1 – Escolha um dia da semana e um horário.
2 – Inicie com uma leitura para harmonização do ambiente. Sugestão de livros: Pão nosso, fonte viva, caminho verdade e vida ou vinha de luz.
3 – Faça uma prece de início
4 – Faça leitura (de forma seqüencial) de O Evangelho Segundo o Espiritismo e comente.
5 – Faça uma prece de encerramento.
Observações: Pode levar 30 min. ou mais; Pode ser feito com toda família, em parte, ou sozinho (a); Pode-se colocar água para beber ao final; Precisa ser feito toda semana no mesmo dia e hora.