GRUPO ESPÍRITA AGOSTINHO E TEREZA DE JESUS

O Espiritismo é, ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática, ele consiste nas relações que se estabelecem entre nós e os espíritos; Como filosofia, compreende todas as consequências morais que faz brotar dessas mesmas relações. Podemos defini-lo assim: Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos espíritos, bom como de suas relações com o mundo corporal.

E ainda, o Espiritismo é uma ciência nova que vem revelar aos homens, por meios de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corpóreo. Ele nos mostra, não mais como coisa sobrenatural, porém ao contrário, como uma das forças vivas sem cessar atuantes da natureza, como fonte de uma imensidade de fenômenos até hoje incompreendidos e , por isso, relegados para o domínio do fantástico e do maravilhoso. É a essas relações que o Cristo refere-se em muitas circunstâncias e daí vem que muito do que Ele disse permaneceu obscuro ou falsamente interpretado.

O Espiritismo é a chave com o auxílio da qual tudo se explica de modo fácil.

Allan Kardec


quinta-feira, 31 de maio de 2018

EM DIA COM O ESPIRITISMO







A um canto, como distante daqueles duelos da palavra, Jesus parecia meditar. Em
dado instante, solicitado ao esclarecimento, respondeu com suavidade:
– A fé pertence, sobretudo, aos que trabalham e confiam. Tê-la no coração é estar
sempre pronto para Deus. Não importam a saúde ou a enfermidade do corpo, não têm
significação os infortúnios ou os sucessos felizes da vida material. A alma fiel trabalha
confiante nos desígnios do Pai, que pode dar os bens, retirá-los e restituí-los em tempo
oportuno, e caminha sempre com serenidade e amor, por tôdas as sendas pelas quais a mão
generosa do Senhor a queira conduzir.
– Mas, Mestre – redargüiu Levi, em respeitosa atitude – como discernir a vontade de
Deus, naquilo que nos acontece? Tenho observado grande número de criaturas criminosas que
atribuem à Providência os seus feitos delituosos e uma legião de pessoas inertes que
classificam a preguiça como fatalidade divina.
– A vontade de Deus, além da que conhecemos através de sua lei e de seus profetas,
através do conselho sábio e das inclinações naturais para o bem, é também a que se manifesta,
a cada instante da vida, misturando a alegria com as amarguras, concedendo a doçura ou
retirando-a, para que a criatura possa colher a experiência luminosa no caminho mais
espinhoso. Ter fé, portanto, é ser fiel a essa vontade, em tôdas as circunstâncias, executando o
bem que ela nos determina e seguindo-lhe o roteiro sagrado, nas menores sinuosidades da
estrada que nos compete percorrer.
LIVRO BOA NOVA - 28


Nenhum comentário:

Postar um comentário